Histórico


Outros sites
 ACavernadoEscriba
 Aeronauta
 AcreditandonoTruque
 ÂngelaVilmaeMônicaMenezes
 BeiradeRio, Correnteza
 BípedeFalante
 Blag
 BlogdoChorik
 CavaleirodeFogo
 ContinhosparaCão...
 Deslocamentos
 EmbrulhonoEstômago
 GavinhasdaAlma
 HerdandoumaBiblioteca
 InscriçõesSempreAbertas
 LeitoraCrítica
 Licuri
 MariaMuadié
 Minicontos
 ModusOperandi
 NãoLeia
 OSolnasBancasdeRevista
 Perdigotos
 PoemasBrutos
 ValsacomBashir
 TicketZen
 VestígiosdaSenhoritaB
 VinteeSeisInquietações


 
Estranhamentos


Colcha de retalhos

 

Não tive tempo de comprar presentes de Natal, de enviar cartões de boas festas, de participar de almoços de confraternização. Ando sentindo-me feia, cansada, e estou sempre muito ocupada. Por isso, algumas pessoas foram embora, outras têm me olhado de lado, mas há aqueles que ficam (os que realmente importam). Sei apenas que, no momento, preciso continuar costurando, ou tentando costurar, uma enorme colcha de retalhos.



Escrito por M. às 18h08
[] [envie esta mensagem] []



Filhos

 

"Chega o momento em que só nos resta ficar de longe torcendo e rezando muito para que eles acertem nas escolhas em busca da felicidade.

E que a conquistem do modo mais completo possível."

 

Affonso Romano de Sant'Anna



Escrito por M. às 15h43
[] [envie esta mensagem] []



 Sandália de tiras

 

trançar as tiras

atar os laços

vestir o véu

guardar o sonho

suster o abraço

ganhar o céu

voar bem alto

erguer no espaço

um carrossel



Escrito por M. às 22h40
[] [envie esta mensagem] []



Mãe me ensinou

 

O que você faria se estivesse no lugar do outro?

O que você sentiria se estivesse no lugar do outro?

 

Jamais estaremos.



Escrito por M. às 15h21
[] [envie esta mensagem] []



Um poema que me comove profundamente

 

Duas andorinhas, mais duas andorinhas...

As andorinhas voam sempre aos pares.

Quer em torre de jade ou em pavilhão de laca,

não pousam nunca uma sem a outra.

Quer avistem balaustrada de mármore ou janela dourada,

não se separam nunca...

 

Havia duas andorinhas... Quando ardeu a trave de cedro

que abrigava seu ninho,

refugiaram-se no palácio do rei Wu.

Mas o palácio do rei ardeu

e o macho e os filhotes foram queimados também.

De volta, a fêmea ficou contemplando as ruínas do palácio.

 

Esta história me entristece profundamente.

 

Li Po



Escrito por M. às 22h41
[] [envie esta mensagem] []




[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]